background img
screen_shot_2017-10-08_at_12.46.55_am

Werdum sobre finalização em 65 segundos no UFC 216: “Saiu no automático”

Brasileiro fala sobre mudança de adversário três horas antes do combate e revela que pode retomar cargo de comentarista da organização

abricio Werdum teve um teste de fogo neste sábado: quando estava a caminho da arena do UFC 216, descobriu que seu adversário, Derrick Lewis, havia sido retirado do card por problemas em uma hérnia de disco. Ele então recebeu a proposta de enfrentar Walt Harris, peso-pesado que tinha duelo contra Mark Godbeer no card preliminar, e aceitou sem pestanejar.

- Eu não acreditei (quando soube da lesão do Lewis), porque você se prepara durante três, quatro meses pra um adversário, de repente muda assim é bem difícil. As pessoas pensam que não é difícil, mas é muito difícil. Ainda mais que o cara era canhoto, não tinha nada a ver com o outro, era um jogo completamente diferente. Mas a gente conversou, eu, o mestre, o Babalú, meu irmão, toda a equipe ali no quarto. A gente quer ser campeão de novo, vamos ser campeões de novo, então é qualquer um. É difícil a decisão, mas a gente aceitou por isso. E ia ficar meio ruim pro UFC também e a gente aceitou pra mostrar que a gente é 100% UFC – declarou em entrevista ao Combate.

Fabricio Werdum conversou com a imprensa após o UFC 216 e disse que se acha merecedor de nova chance ao título do UFC (Foto: Reprodução)

Fabricio Werdum conversou com a imprensa após o UFC 216 e disse que se acha merecedor de nova chance ao título do UFC (Foto: Reprodução)

Werdum não se deixou intimidar e finalizou o novo adversário em apenas 65 segundos. Mas o gaúcho garante que o golpe saiu de forma natural.

- Vou fizer bem a verdade, eu achei um negão grande, sabe…Um cara grande, e quando eu vi eu falei, vamos lutar…sabia que ele era um cara explosivo, veio do basquete, um cara duro, grande, e quando eu tive a oportunidade de pegar na perna dele e botar para baixo, eu senti que ele afrouxou. Botei mais um pouquinho de pressão, ele caiu, tentei me equilibrar, porque eu sei que ele é bem explosivo de sair de baixo, me equilibrei bem primeiro, consegui a montada. Quando eu montei nele, senti a respiração dele muito forte. A luta tinha acabado de começar e estava uma respiração de… não é faltando respeito, nem nada, é a realidade, eu senti um desespero ali de respirar muito forte. Daí eu mantive a calma, ele ainda conseguiu sair da montada bem, e eu consegui pegar o braço. É uma finalização que eu faço direto na academia. Eu pego as costas e em vez de ir pro pescoço, o cara não espera o braço, e eu faço isso direto. Eu faço muito isso e gosto de fazer, mas saiu no automático. De tanta repetição com o Cobrinha, e de novo, de novo, de novo, aquela coisa de duas horas repetindo a mesma coisa, é impressionante como o Cobrinha ensina e deu pra mostrar ali que foi automático.

Questionado se o UFC prometeu algo em troca, caso aceitasse o combate em cima da hora, o ex-campeão dos pesados deu uma pista:

- A minha relação com o Dana é boa, não é uma amizade assim de falar direto, mas é uma relação boa, de muitos anos. E eu fiquei sabendo aí que, de repente vou voltar a ser comentarista de novo. Vamos ver, né?

O gaúcho também se disse orgulhoso de sua performance neste sábado:

- O jiu-jítsu salva e realmente me salvou muito bem. Sair de uma luta sem tomar nenhum soco é quase impossível, eu não tomei nenhum soco, foi uma luta limpa, difícil, porque as pessoas pensam: “Não, o cara não tem…”. É um cara difícil realmente, eu tive que olhar as lutas dele no caminho vindo pra arena. Eu tive que olhar, a gente fez isso. Eu, o mestre, o Babalú, meu irmão, a gente ficou olhando: o cara faz isso, aquilo, o cara é canhoto, tem que sair pelo seu lado esquerdo, saímos do lado esquerdo. Que bom que foi desse jeito aí de sair limpo.

“Vai Cavalo” voltou a repetir que acredita que merece nova chance pelo cinturão da divisão:

- Eu acho que se me dessem a oportunidade, estou sabendo que tem uma luta entre o Overeem e o Francis, que eles estão querendo disputar o cinturão na sequência. Acho que somos nós três e que eu estou merecendo essa luta pelo cinturão de novo, já fui duas vezes campeão do UFC, não interessa pra mim se é interino ou não, mas eu tenho dois cinturões lá em casa, e quero o terceiro. Tenho certeza que eu tenho condições, tenho 40 anos e tenho certeza de que eu tenho condições e que eu vou chegar de novo – finalizou.

Confira os resultados deste sábado:

Tags relacionadas
Veja também
Comentários

Comentários encerrados!