background img
2017-12-21t002223z_1618498558_rc13df7a4630_rtrmadp_3_soccer-libertadores-sudamericana

Grupo mais difícil? Flamengo tem chave com mais pontos no ranking; veja lista

Se consideradas as pontuações da classificação da Conmebol, Grupo 3 é o de maior cotação, e Grupo 8, de Boca e Palmeiras, é o segundo. Corinthians terá rivais pior ranqueados

Qual grupo da Libertadores é o mais forte? E o mais fraco? Com base no ranking da Conmebol, é possível tentar responder a essas perguntas. Se somadas as pontuações de cada equipe na lista da entidade, o Grupo 4, que conta com River Plate e Flamengo, é o que reúne mais pontos entre seus participantes, se considerada a classificação do Santa Fe na fase prévia. Por outro lado, o Corinthians deu sorte. Ao menos nos números. O Grupo 7, que tem o Timão como cabeça de chave, é o que conta com as equipes com menor somatório de pontos do ranking.

  • GRUPO 3. River Plate, Emelec, Flamengo e G1: 13236/10637
  • GRUPO 8. Boca Juniors, Palmeiras, Alianza Lima e G4: 12477/8996
  • GRUPO 6. Santos, Estudiantes, Real Garcilaso e G2: 11412/7051
  • GRUPO 1. Grêmio, Cerro Porteño, Defensor e Monagas: 9531
  • GRUPO 3. Peñarol, Libertad, The Strongest e Atlético Tucumán: 9404
  • GRUPO 2. Atlético Nacional, Bolívar, Colo-Colo e Delfín: 9391
  • GRUPO 5. Cruzeiro, Universidad de Chile, Racing e G3: 8439/7562
  • GRUPO 7. Corinthians, Independiente, Millonarios e Deportivo Lara: 5988

A lista da Conmebol leva em conta três critérios: o desempenho histórico dos clubes, nas edições de 1960 até 2007; a pontuação dos últimos 10 anos, com peso maior e decréscimo de 10% a cada edição anterior; e títulos nacionais conquistados entre 2008 e, com exceção das Copas.

Confira uma análise de cada chave, ordenado de acordo com as somas dos pontos do ranking como referência:

GRUPO 3. RIVER PLATE, EMELEC, FLAMENGO E G1: 13236/10637 PONTOS

Com 6030 pontos, o River Plate tem mais pontos que todos do Grupo 7 juntos. Corinthians, Independiente, Millonarios e Deportivo Lara têm, somados, 5988 pontos. O time de Marcelo Gallardo, líder na lista da Conmebol, novamente encontra o Emelec na fase de grupos. Os equatorianos eram os mais bem posicionados do pote 2 da Libertadores, com 2999 pontos. O Flamengo, quarto no pote 3, tem 1608.

River Plate tem mais pontos no ranking que todo o grupo do Corinthians: 6030 contra 5988 (Foto: Jorge Adorno/Reuters)

River Plate tem mais pontos no ranking que todo o grupo do Corinthians: 6030 contra 5988 (Foto: Jorge Adorno/Reuters)

Uma equipe da fase prévia completa a chave. São cinco candidatos: Santa Fe, Deportivo Macará, Deportivo Táchira, Santiago Wanderers ou Melgar. Caso o Santa Fe confirme o favoritismo e avance, a soma do grupo vai até 13236. Se passar o zerado Deportivo Macará, estreante na Libertadores, o número fica em 10637, menor valor possível para o Grupo 3.

GRUPO 8. BOCA JUNIORS, PALMEIRAS, ALIANZA LIMA E G4: 12477/8996

Líder do ranking no ano passado, o Boca Juniors volta à Libertadores como o segundo colocado, atrás do rival River Plate. Os xeneizes têm 5732 pontos. Na chave, estão Palmeiras (2481) e Alianza Lima (758). A possibilidade da classificação do tricampeão Olimpia aumenta o valor do grupo. O time paraguaio, que terá que superar três confrontos de mata-mata para avançar à fase de grupos, é o nono no ranking (3506 pontos) e está à frente de três cabeças de chave: Santos, Corinthians e Cruzeiro.

Se o Decano conseguir a classificação, a soma de todos da chave chega a 12477. Guaraní-PAR, Junior Barranquilla, Montevideo Wanderers e Carabobo também estão na disputa pela última vaga no Grupo 8. Caso os venezuelanos, que têm a menor cotação da chave, surpreendam e consigam entrar, o número fica em 8996.

Fora em 2017, Boca Juniors volta à Libertadores (Foto: Reprodução Twitter)

Fora em 2017, Boca Juniors volta à Libertadores (Foto: Reprodução Twitter)

GRUPO 6. SANTOS, ESTUDIANTES, REAL GARCILASO E G2: 11412/7051

O grupo que tem o Santos como cabeça de chave aparece com a terceira maior cotação na contagem, mas com uma condição: que o Nacional-URU supere a fase prévia. Se avançar, o tradicional time uruguaio seria a equipe de melhor ranking do grupo. O rival da Chapecoense é o quinto na lista da Conmebol, com 4622 pontos, resultado de sua constante presença no torneio. Com o Nacional, o grupo teria um somatório de 11412 pontos.

O Peixe é o 11º do ranking, com 3496 pontos. O Estudiantes tem 2712 pontos, e o Real Garcilaso ficou com 582. Caso a Chape consiga a classificação, o número do Grupo 6 cairia para 7090 pontos. A menor cotação possível seria 7051 pontos, em um cenário que teria o Banfield como quarto membro.

GRUPO 1. GRÊMIO, CERRO PORTEÑO, DEFENSOR E MONAGAS: 9531

Grupo mais fácil? Não é o que os números dizem. Embora o estreante Monagas esteja zerado no ranking, o Grupo 1 aparece com a quarta maior somatória. Entretanto, o campeão Grêmio tem mais da metade dos 9531 pontos da chave. O Tricolor é o melhor brasileiro e terceiro colocado da lista da Conmebol, com 5312 pontos. O Cerro Porteño, atual campeão paraguaio, tem 2696 pontos, e o Defensor, semifinalista da Libertadores em 2014, aparece com 1523.

Atual campeão, Grêmio é o melhor brasileiro do ranking e dono de mais da metade dos pontos de sua chave (Foto: Lucas Uebel / Grêmio F.B.P.A.)

Atual campeão, Grêmio é o melhor brasileiro do ranking e dono de mais da metade dos pontos de sua chave (Foto: Lucas Uebel / Grêmio F.B.P.A.)

GRUPO 3. PEÑAROL, LIBERTAD, THE STRONGEST E ATLÉTICO TUCUMÁN: 9404

O Grupo 3 conta com três equipes assíduas nas últimas edições da Libertadores, o que ajuda a elevar sua pontuação, cujo valor é de 9531 pontos. O Peñarol não passa da fase de grupos desde 2011, quando foi finalista. Mas é a equipe com maior coeficiente histórico e aparece em sexto no ranking. Tem 4469 pontos.

O Libertad apareceu no pote 2 ajudado por sua presença constante na competição. Não avança de fase desde 2012, mas esteve em oito das últimas 10 edições e ficou com 2426 pontos no ranking. O boliviano The Strongest foi o mais bem ranqueado do pote 3, com 2209 pontos. O Atlético Tucumán vai apenas para sua segunda Libertadores e tem 300 pontos.

GRUPO 2. ATLÉTICO NACIONAL, BOLÍVAR, COLO-COLO E DELFÍN: 9391

O Grupo 2 também tem uma equipe sem pontos no ranking, o estreante Delfín, do Equador. Os 9391 pontos da chave são do Atlético Nacional (4815), campeão da Libertadores em 2016, Bolívar (2463) e Colo-Colo (2113).

GRUPO 5. CRUZEIRO, UNIVERSIDAD DE CHILE, RACING E G3: 8439/7562

Embora esteja na mesma chave dos tradicionais Universidad de Chile e Racing, o Cruzeiro ficou com o grupo de segunda menor cotação. A própria Raposa ajuda para que o número não seja tão alto. O time mineiro foi o cabeça de chave com menor pontuação no ranking, 3229. A Universidad de Chile foi a pior do pote 2 (2237), e o Racing somou 1660 pontos.

Ao todo, cinco equipes disputam a última vaga da chave. Dos postulantes, o Universitario é o de melhor ranking: o 40º, com 1313 pontos. Se passar, os peruanos colocam o Grupo 5 com 8439 pontos. Com seus 810 pontos, o Vasco colocaria a chave com 7936 no total.

GRUPO 7. CORINTHIANS, INDEPENDIENTE, MILLONARIOS E DEPORTIVO LARA: 5988

Na frieza dos números do ranking da Conmebol, o Corinthians foi o brasileiro com mais sorte. O atual campeão brasileiro está no Grupo 7, de menor pontuação, 5988. Para começar, o Timão enfrentará o Independiente, que só entrou no pote 2 por ser campeão da Copa Sul-Americana. Seus 1864 pontos o colocariam no pote 3 do sorteio. O Millonarios só não foi pior que o Real Garcilaso no pote 3, com 596 pontos. O Deportivo Lara irá para sua segunda Libertadores e tem só 188 pontos no ranking.

O ranking da Conmebol completo

Ranking da Conmebol da Libertadores 2018 (Foto: Reprodução/Conmebol)

Ranking da Conmebol da Libertadores 2018 (Foto: Reprodução/Conmebol)

Via GLOBO ESPORTE

Tags relacionadas
Veja também
Comentários

Comentários encerrados!