background img
miocic1

Miocic vence Ngannou por pontos e quebra recorde de defesas de título nos pesados

Em luta abaixo do esperado, com monólogo do campeão, americano é o primeiro lutador do UFC a defender o cinturão da divisão até 120kg em três oportunidades seguidas

O peso-pesado tem o seu campeão mais longevo da história do Ultimate. Na luta principal do UFC 220, em Boston (EUA), Stipe Miocic tornou-se o primeiro lutador da categoria a conseguir três defesas de cinturão consecutivas ao bater Francis Ngannou por decisão unânime (triplo 50-44). A temida força do camaronês foi suprimida pela maior qualidade técnica e física do americano, que não se arriscou, foi estratégico e cozinhou o rival por 25 minutos para garantir um incontestável triunfo.

- Ele foi difícil, veio pra cima de mim no primeiro round, mas depois eu o controlei. Olha o tamanho desse cara, ele é muito duro. Achei que ele fosse me bater o tempo todo, mas eu estava bem. É todo mundo contra mim. Vou ser pai agora – afirmou Miocic.

Stipe Miocic abraça a esposa após anunciar que será pai (Foto: Getty Images)

Stipe Miocic abraça a esposa após anunciar que será pai (Foto: Getty Images)

A luta

Ngannou jogou um chute alto logo de cara, mas Miocic deixou claro: trocar não estava nos planos. O campeão entrou com um single leg e chegou a derrubar, mas o camaronês ficou de pé. Stipe tentou outro single leg, mas desta vez o desafiante se defendeu melhor e partiu faminto em busca do nocaute. Um jab e direto chegou a balançar Miocic, que ameaçou outra queda, linchou e pressionou o rival na grade. O americano ameaçou com um jab e direto. Outro direto balançou Ngannou, que se precipitou ao encurtar a distância. Miocic mostrou timing perfeito e aplicou a queda. No solo, o campeão foi para a posição de 100kg, mas o desafiante ficou de pé na base da força. Nos segundos finais, os dois foram para a trocação franca, absorveram golpes duros, e Miocic conseguiu uma última queda.

O cansaço dos dois era nítido no início do segundo round, mas Ngannou parecia mais desgastado. Mesmo assim, o camaronês colocou uma direita no rosto do rival. O campeão respondeu com chutes baixos, se movimentando bem no octógono. Miocic tentou outra queda, foi rechaçado e saiu do raio de ação. Quando se reposicionou, explodiu uma direita no rosto do desafiante. Ngannou acertou um uppercut e caminhou para a frente. Miocic percebeu e buscou outro double leg. O americano pressionou contra a grade e, com calma, jogou joelhadas na linha de cintura enquanto o rival se defendia acuado. O campeão atacou no mata-leão, mas sem tempo para ajustar a posição.

Stipe Miocic não deu chances para Francis Ngannou (Foto: Getty Images)

Stipe Miocic não deu chances para Francis Ngannou (Foto: Getty Images)

Miocic encurtou rapidamente na volta para o terceiro assalto. Ao colocar o adversário contra a grade, ele tentou derrubar, e Ngannou parou em três apoios, defendendo-se dos golpes curtos do campeão. Esgotado fisicamente, o camaronês já não aparentava ser o lutador tão temido das últimas lutas. Mesmo assim, o desafiante conseguiu se desvencilhar e encaixou uma bomba de direita. Como das outras vezes que colocou bons golpes, se empolgou e foi para cima, sofrendo a queda do americano, que caiu na meia-guarda. Miocic trabalhou golpes curtos e controlou até o fim do round.

Após três rounds, já não havia mais resistência para Miocic. Double leg simples, queda fácil. Ele jogou golpes curtos no ground and ponud, ensaiou uma guilhotina e chegou a ser cobrado pelo árbitro central pela falta de ação. Logo depois, golpeou seguidamente o rosto do camaronês, que nada fez.

Ngannou parecia não saber mais o que fazer. Exausto, sem a potência que o torna diferente dos demais, contra um adversário claramente mais técnico e melhor fisicamente, não havia alternativa para o desafiante. Miocic até poupou o camaronês de um castigo maior ao atuar com segurança, apenas dominando na grade, sem correr riscos. Herb Dean separou os dois, mas a impressão é de que ambos só queriam que o cronômetro zerasse. Miocic fitou o telão do ginásio para saber quanto tempo faltava. Com menos de dois minutos para o fim, restou ao americano administrar para manter o cinturão.

Tags relacionadas
Veja também
Comentários

Comentários encerrados!