background img
hero

Brasil na F1: passado vitorioso e futuro promissor

Depois de 48 anos seguidos, a temporada 2018 da Fórmula 1 não terá pilotos brasileiros, mas nosso histórico de conquistas deixa esperanças para o futuro na categoria.

Grande Prêmio da Itália de 1951, segundo ano da Fórmula 1. Piloto e escuderia tinham o mesmo nome: Francisco Landi. Aos 44 anos, ele posicionou sua Ferrari particular na oitava fila do grid de Monza. O câmbio não permitiu que ele completasse a primeira volta, mas começava ali a vitoriosa história dos brasileiros na maior categoria do automobilismo mundial. Chico Landi não era de desistir facilmente. Cinco anos depois ele marcou 1,5 ponto com o quarto lugar no GP da Argentina, o primeiro de nossos 3,372. Depois dele, mais 30 brasileiros largaram na F1 e conseguiram 101 vitórias, 293 pódios e oito títulos.

Os brasileiros passaram por 46 escuderias e usaram 160 carros diferentes. A maior parte de nossas vitórias está concentrada em 20 das 53 temporadas que participamos. Foram 74 vezes chegando na frente (73,2%) entre 1972 e 1992, justamente quando vieram os títulos. Porém, conseguimos outras boas colocações no Mundial de Pilotos. Tivemos oito vice-campeonatos e seis terceiras colocações, o que significa que ficamos entre os três primeiros em 37,7% dos campeonatos que competimos, graças a cinco de nossos pilotos. Já em Grandes Prêmios, temos seis brasileiros com vitórias e nove que estiveram no pódio em alguma ocasião.

Após os pioneiros dos anos 1950, ficamos sem brasileiros por uma década até a chegada de Emerson Fittipaldi, em 1970. Seu primeiro título veio após duas temporadas e abriu caminho para os pilotos nacionais. Aos 25, foi o mais jovem a se tornar campeão, superado apenas em 2005, por Fernando Alonso. De 1975 a 1990 conseguimos 11 dobradinhas, sendo oito com Piquet e Senna. Chegamos a ter cinco pilotos largando numa mesma corrida, nos GPs do Canadá e da Alemanha de 2001. Com 19 temporadas, Barrichello é quem ficou mais tempo em atividade. Com 322 GPs disputados, ele é o piloto com mais participações na história da F1.

Screenshot_1

 

Dentre os 14 países que tiveram campeões na Fórmula 1, o Brasil se destaca entre os que têm melhor relação pilotos/títulos (25,8%), ficando atrás apenas da Finlândia (44,4%), que teve nove pilotos e conquistou quatro campeonatos. A Inglaterra (10,5%) é o país com mais títulos e mais pilotos e os Estados Unidos têm o pior índice (1,2%), já que teve 158 pilotos e apenas duas conquistas.

Futuros possíveis pilotos brasileiros

Após o kart, a escala até a F1 passa por competições nas Fórmulas 4, 3 (ou GP3) e 2. O investimento nessa caminhada pode chegar a 17 milhões de reais, valor que ficou mais difícil de conseguir nos últimos anos por conta das crises financeiras. No entanto, como vários pilotos da F1 têm contrato somente até o fim de 2018, alguns brasileiros possuem chances em 2019.

  • Patrocinador forte

  • Influência nos bastidores

  • Currículo vitorioso

  • imagem de Sérgio Sette Câmara

    Sérgio Sette Câmara

    19 anos

  • Bola da vez dentre os brasileiros, corre num time de ponta em seu segundo ano na F2. Seu companheiro de equipe é o piloto reserva da McLaren, o que pode ser um bom parâmetro de comparação.

    • Kart

      13 anos

    • Fórmula 3 Brasil

      15 anos

    • Fórmula 3 Européia

      16 anos

    • Fórmula 2

      19 anos

  • imagem de Pietro Fittipaldi

    Pietro Fittipaldi

    21 anos

  • Vai disputar sete provas na Fórmula Indy em 2018, mas tem o objetivo de dar um passo adiante usando seu currículo de vitórias, o sobrenome do avô, além do apoio do investidor Carlos Slim, homem mais rico do mundo.

    • Kart

      8 anos

    • Fórmula 4

      16 anos

    • Fórmula Renault

      17 anos

    • Fórmula 3 Européia

      18 anos

    • Fórmula V8

      19 anos

    • Fórmula Indy

      21 anos

  • imagem de Matheus Leist

    Matheus Leist

    19 anos

  • Sua estreia na Indy este ano pode ser de muito aprendizado, já que tem como companheiro o veterano Tony Kanaan. Apesar de correr nos EUA, tem experiência na Europa, onde foi campeão da F3 Inglesa em 2016.

    • Kart

      11 anos

    • Fórmula 3 Brasil Light

      16 anos

    • Fórmula 3 Européia

      17 anos

    • Fórmula 3 Inglesa

      18 anos

    • Indy Lights

      19 anos

    • Fórmula Indy

      20 anos

  • imagem de Pedro Piquet

    Pedro Piquet

    19 anos

  • Depois que saiu do Brasil teve dificuldades em conseguir bons resultados em seus dois anos correndo na F3 Europeia. No entanto, conta com o pai, o tricampeão Nelson Piquet, nas negociações com equipes da F1.

    • Kart

      13 anos

    • Fórmula 3 Brasil

      15 anos

    • Fórmula 3 Européia

      17 anos

    • GP3

      19 anos

  • imagem de Felipe Drugovich

    Felipe Drugovich

    17 anos

  • No ano pasado ganhou 17 corridas nos quatro campeonatos que disputou e só não foi campeão da F4 Alemã por pouco. Com esses resultados procura investidores para os próximos anos.

    • Kart

      9 anos

    • Fórmula 4 Alemã e Italiana

      16 anos

    • Euroformula Open

      17 anos

  • imagem de Matheus Iorio

    Matheus Iorio

    20 anos

  • Depois de vencer a F3 Brasil Light, está indo para sua segunda temporada na EuroFórmula Open, um torneio de F3 chancelado pela FIA. No ano passado conseguiu um pódio e terminou na 9ª colocação.

    • Kart

      14 anos

    • Fórmula 3 Brasil Light

      16 anos

    • Fórmula 3 Brasil

      17 anos

    • Euroformula Open

      18 anos

  • imagem de Christian Hahn

    Christian Hahn

    19 anos

  • Depois da terceira colocação na F3 Brasil de 2016, estreiou na Europa ano passado com a 16ª colocação final na Euroformula Open. Vai para seu segundo ano na categoria de F3 na mesma equipe, a Drivex.

    • Kart

      7 anos

    • Fórmula 3 Brasil

      17 anos

    • Euroformula Open

      18 anos

  • imagem de Guilherme Samaia

    Guilherme Samaia

    21 anos

  • Em 2017 foi campeão na F3 Brasil e teve que conciliar seu calendário com a F3 Inglesa e com a Euroformula Open, onde correu metade da temporada, mas vai participar em 2018 pela atual equipe campeã.

    • Kart

      8 anos

    • Fórmula 3 Light

      16 anos

    • Fórmula 3 Brasil

      17 anos

    • Fórmula 3 Inglesa

      18 anos

    • Euroformula Open

      18 anos

  • imagem de Bruno Carneiro

    Bruno Carneiro

    19 anos

  • Campeão da recém-criada Fórmula 4 Chinesa em 2016 com oito vitorias, está indo para o seu segundo ano na F3 Japonesa, onde terminou na 11ª colocação em 2017.

    • Kart

      5 anos

    • Fórmula 4 Chinesa

      17 anos

    • Fórmula 3 Japonesa

      18 anos

  • imagem de Enzo Fittipaldi

    Enzo Fittipaldi

    16 anos

  • Após conseguir apenas um pódio ano passado, está indo para sua segunda temporada nos mais competitivos torneios de F4. A influência de seu avô, Emerson, o levou ao programa de formacão de pilotos da Ferrari.

    • Kart

      8 anos

    • Fórmula 4 Alemã e Italiana

      15 anos

  • imagem de Gianluca Petecof

    Gianluca Petecof

    15 anos

  • Entrou recentemente para a Academia de Pilotos da Ferrari, uma ótima porta de entrada para a F1. Em 2018 estreia nos monopostos na F4 e terá Enzo Fittipaldi como companheiro na equipe Prema Powerteam.

    • Kart

      9 anos

    • Fórmula 4 Italiana e Alemã

      15 anos

  • imagem de Caio Collet

    Caio Collet

    15 anos

  • Após anos de conquistas no kart, estreia nos monopostos em 2018 e tem como empresario o influente Nicolas Todt. A aposta pela França tem a estratégia de estar sob o guarda-chuva da Renault, que tem equipe na F1.

    • Kart

      11 anos

    • Fórmula 4 Francesa

      15 anos

  • imagem de Thiago Vivacqua

    Thiago Vivacqua

    21 anos

  • Depois de conquistas no kart, estreiou nos monopostos com um terceiro lugar na Fórmula Renault 2.0. Foi o melhor brasileiro na Euroformula Open em 2017 e terminou em sétimo com uma vitória na categoria.

    • Kart

      11 anos

    • Fórmula Renault 2.0

      18 anos

    • Fórmula 3 Brasil

      19 anos

    • Euroformula Open

      20 anos

Brasileiros na Fórmula 1

Desde 1970 tivemos brasileiros ininterruptamente na Fórmula 1. Até 2003, mantivemos uma média de 0,69 pilotos novos por ano, mas nos últimos 15 anos essa média caiu para 0,26, o que culminou na ausência de representantes nacionais.

CLIQUE NAS ABAS PARA REORGANIZAR A TABELA

CLIQUE NA LINHA PARA SABER MAIS

PARTICIPAÇÕES

PRIMEIRA
TEMPORADA

ÚLTIMA
TEMPORADA

POLE

PÓDIOS

VITÓRIAS

TÍTULOS

Rubens Barrichello

322 1993 2011 14 68 11 0

Felipe Massa

269 2002 2017 16 41 11 0

Nelson Piquet

204 1978 1991 24 60 23 3

Ayrton Senna

161 1984 1994 65 80 41 3

Emerson Fittipaldi

144 1970 1980 6 35 14 2

Pedro Paulo Diniz

98 1995 2000 0 0 0 0

Maurício Gugelmin

74 1988 1992 0 1 0 0

José Carlos Pace

72 1972 1977 1 6 1 0

Bruno Senna

46 2010 2012 0 0 0 0

Roberto Pupo Moreno

42 1982 1995 0 1 0 0

Christian Fittipaldi

40 1992 1994 0 0 0 0

Felipe Nasr

39 2015 2016 0 0 0 0

Ricardo Zonta

36 1999 2005 0 0 0 0

Wilson Fittipaldi Jr

35 1972 1975 0 0 0 0

Nelsinho Piquet

28 2008 2009 0 1 0 0

Cristiano da Matta

28 2003 2004 0 0 0 0

Enrique Bernoldi

28 2001 2002 0 0 0 0

Ricardo Rosset

26 1996 1998 0 0 0 0

Tarso Marques

24 1996 2001 0 0 0 0

Raul Boesel

23 1982 1983 0 0 0 0

Antônio Pizzonia

20 2003 2005 0 0 0 0

Lucas Di Grassi

18 2010 2010 0 0 0 0

Chico Serra

18 1981 1983 0 0 0 0

Luciano Burti

15 2000 2001 0 0 0 0

Alex Dias Ribeiro

10 1976 1979 0 0 0 0

Nano da Silva Ramos

7 1955 1956 0 0 0 0

Chico Landi

6 1951 1956 0 0 0 0

Gino Bianco

4 1952 1952 0 0 0 0

Frits D’Orey

3 1959 1959 0 0 0 0

Ingo Hoffman

3 1976 1977 0 0 0 0

Luiz Pereira Bueno

1 1973 1973 0 0 0 0

A última vez que ouvimos o “Tema da Vitória” foi há quase nove anos, no GP da Itália de 2009, após uma vitória de Rubinho. Desde 2010 há uma média impressionante de cinco campeões mundiais por temporada, o que sugere um aumento da competitividade.

Nos últimos 48 anos, tivemos cinco destaques que levaram à frente esta tradição brasileira. Felipe Massa foi o último desta corrente que teve Barrichello, Senna, Piquet e Fittipaldi, inspiração mais do que suficiente para que a nova geração construa um novo ciclo do Brasil na Fórmula 1.

CRÉDITOS

Texto:Fabio PennaApuração:Fabio PennaAlexander GrünwaldClaudio AssisArte e Design:Alexandre LageClaudio AssisFabio PennaMario AlbertoMario LeiteDesenvolvimento:Ana TarrisseCarlos LemosColaboraram:Fred SabinoPedro Lopes

Os carros Brabham BT46, BT48, BT49, BT49C, BT49D, BT50, BT52, BT52B, BT53, BT54; Lotus 49C, 72C, 72D, 72E, 56B, 100T; Benetton B189B, B190, B190B, B191; Fittipaldi FD01, FD02, FD03, FD04, F5, F6, F6A, F7, F8; McLaren M23, MP4/6, MP46B e Toleman TG183B foram desenhados por Ararê Novaes.

http://ararenovaes.blogspot.com.br/

Tags relacionadas
Veja também
Comentários

Comentários encerrados!