background img
4472eab90e373913b6490c54f6b3ab2e

Mão Amiga Cana beneficia 390 trabalhadores rurais de Areia Branca e São Cristóvão

Em São Cristóvão, o governador do Estado também anunciou que, nas próximas semanas, retornará ao município para autorizar R$ 3 milhões em pavimentação

O senhor Gilson dos Santos Filho trabalha há 20 anos no corte-de-cana de açúcar e é um dos milhares de trabalhadores sergipanos beneficiados com o Programa Mão Amiga Cana, edição 2018. O governador Belivaldo Chagas, na manhã desta quarta-feira (20), foi até os municípios de Areia Branca e São Cristóvão para entregar senhas e cartões que dão acesso a esses trabalhadores ao benefício.

Gilson contou que no período da entressafra o valor recebido do governo garante as necessidades básicas da sua família. “Na minha família somos seis. Esse dinheiro ajuda muito. Desde os 19 anos que trabalho na cana. Mas quando termina o período da safra, a gente fica desempregado e, nessa época, o Mão Amiga é a única fonte de renda garantida que temos, junto com o Bolsa Família.  É uma grande ajuda para gente”, afirmou o agricultor.

Na ocasião, o chefe do Executivo estadual, anunciou que, durante os quatros meses programados para o recebimento das parcelas do programa, o benefício será pago sempre no dia 30 de cada mês. “Definimos que o pagamento será feito todo dia 30 para que ninguém fique preocupado quando vai receber. O governo tem como obrigação distribuir renda também, não basta apenas arrecadar impostos. Nós estamos vivendo um período de entressafra da cana e existe, portanto, o programa Mão Amiga do governo do Estado. O programa tem como obrigação nesse período de entressafra da cana, assim como acontece na entressafra da laranja, ajudar a população. Estamos cumprindo nossa obrigação. São quatro meses de entressafra e quatro parcelas de R$190,00. Esse dinheiro vai ajudar na renda familiar. Assim, damos dignidade a essas famílias. O governo que cuida do seu povo tem que se preocupar com esse tipo de ação”, disse o governador.

Em 2018, em todo o estado, 4.341 cortadores de 21 municípios receberão o benefício. Na primeira parcela, o montante é de 824.790,00. Ao final das quatro parcelas, terão sido investidos R$ 3.299.160,00. Em Areia Branca, 326 trabalhadores receberam os cartões e senhas, por meio dos quais poderão sacar a primeira parcela, no valor de R$ 190,00. Ao final dessa edição, serão R$ 247.760,00 investidos pelo governo do Estado neste município.

Para o prefeito de Areia Branca, Alan de Agripino, o programa do governo estadual além de contribuir com o sustento dos trabalhadores rurais na entressafra, auxilia ainda o comércio da cidade. “ A gente sabe que o pessoal da cana-de-açúcar não trabalha o ano todo, trabalham seis, sete meses por ano. E o ‘Mão Amiga’ vem ajudar não só os trabalhadores aqui de Areia Branca, como todos que trabalham nessa cultura no estado. O recurso chega em uma boa hora para esses trabalhadores que, no momento, encontram-se desempregados. Além disso, é uma renda que vem a movimentar o comércio do município. Aqui, são 326 famílias que recebem esse recurso. Se não tivesse esse cartão do Mão Amiga, seriam 326 pessoas que estariam sem recursos para comprar um medicamento, comprar alimento. Então, o nosso comércio também é impulsionado”, explicou o gestor municipal.

O Programa Mão Amiga, realizado por meio da Secretaria de Estado da Mulher, Inclusão e Assistência Social, do Trabalho, dos Direitos Humanos e da Juventude (Seidh), é custeado com recursos do governo de Sergipe, através do Fundo de Combate à Pobreza (Funcep). A ação consiste no pagamento de R$ 760,00 divididos em quatro parcelas de R$ 190,00, durante os quatro meses da entressafra de cada cultura agrícola. Na cultura da cana, a entressafra ocorre nos meses de maio, junho, julho e agosto; na laranja, a entressafra é novembro, dezembro, janeiro e fevereiro.

Genilsa dos Santos, 57, falou da importância desse recurso. “É um dinheiro importante para gente e tendo um dia certo de receber, como o governador falou, já ajuda a nos organizarmos para pagar uma água, a energia. O resto a gente vai se virando. Já tem nove safras que trabalho na usina e é minha sorte, graças a Deus. Porém, na entressafra, fico sem renda fixa, mas com a ajuda do Mão Amiga, da minha família e com alguns bicos que consigo, vou me virando”, informou.

De acordo com o secretário de Estado da Inclusão, José Carlos Felizola, o trabalho é realizado em vários municípios ao mesmo tempo. “Esse programa tem uma importância muito grande, porque atua justamente na entressafra, ou seja, quando esses trabalhadores estão desempregados, estão fora das suas atividades. O governador Belivaldo Chagas fez questão de manter essa iniciativa, como também, está fortalecendo o programa e quer ampliá-lo. Ele faz isso porque é um governador que entende que gestão deve ser feita com austeridade, seriedade, mas também com compromisso social, voltada principalmente para as pessoas que mais precisam do poder público”, esclareceu.

São Cristóvão

Moradora do povoado Cardoso, em São Cristóvão, e mãe de duas crianças, Rosevânia Ferreira Costa mantém o sustento da família sozinha e destacou que o Mão Amiga faz diferença na sua vida. “A gente fica sem emprego nessa época e esse dinheiro ajuda bastante. Já ajuda a comprar um bujão, na alimentação, um pouquinho de cada. Somos trabalhadores rurais e é muito difícil achar serviço nessa época, então minha renda acaba sendo o Mão Amiga e o Bolsa Família no período da entressafra. Eu pago tudo em casa sozinha e esse dinheiro chega em uma hora boa”, disse a jovem de 21 anos.

Em São Cristóvão, 64 cortadores receberam cartões e senhas nesta quarta-feira, por meio dos quais poderão sacar a primeira parcela do benefício, no valor de R$ 190,00. Ao final dessa edição, serão R$ 48.640,00 investidos pelo governo do Estado neste município.

O prefeito do município, Marcos Santana, parabenizou o governo do Estado pela coragem de manter a ação que tanto beneficia os trabalhadores rurais das principais culturas do estado. “Ontem, estava em uma solenidade que o governador estava presidindo, na assinatura do contrato do Ipesaúde com a Clinradi, e ouvi uma palavra dele que retrata muito bem essa ação realizada hoje no nosso município. A gente precisa entender o simbolismo da decisão do governador Belivaldo Chagas de continuar com um programa como esse, de transferência de renda, para além do significado da importância pelo repasse de recursos a esses trabalhadores que no momento da entressafra estão desempregados e precisam de uma renda. Vivemos em um momento no qual as políticas sociais estão sendo negligenciadas, em que o governo central está cortando muitas destas políticas. E o ato do governador garantir esse direito simboliza a frase dita por ele ontem: ‘nós, gestores e governantes, precisamos governar com a razão, mas também com o coração’. Belivaldo mantém esse programa porque conhece bem a realidade destes trabalhadores, para que essas pessoas não sofram neste momento de desemprego. Em um momento de dificuldade da economia brasileira, ele com o seu coração grande lembra dos trabalhadores e trabalhadoras da cana. Parabéns, governador, assim o senhor demonstra o carinho com os sergipanos”, declarou o prefeito de São Cristóvão.

A presidente da Associação dos Trabalhadores Rurais de São Cristóvão, Maria do Carmo, também enalteceu a ação do governo. “Quero agradecer a gestão por ter se empenhado, colaborar com toda estratégia para o cadastro de todos os trabalhadores da cana. Esse valor para muitos é insignificante, mas para esses trabalhadores é muito. Quero pedir que, se fosse possível, o valor possa aumentar e também que os trabalhadores que estavam desempregados na época do cadastro e agora estão trabalhando recebam as quatro parcelas e não somente uma. Agradeço esse momento de muito carinho e respeito com todos e todas trabalhadores e trabalhadoras rurais. Esse valor é um complemento à renda destas pessoas e muitas vezes é desse dinheiro que elas sobrevivem neste período. Que esse programa seja contínuo”, relatou.

O Programa Mão Amiga – Cana contempla as famílias inscritas no Cadastro Único do governo federal para benefícios em programas sociais. À altura do pagamento do 3º benefício, o Programa Mão Amiga prevê a participação de beneficiários em um seminário de capacitação. No evento, os agricultores recebem orientações sobre o programa, informações sobre outros benefícios públicos e sobre o desenvolvimento do cultivo da cana no município. A presença do trabalhador é fundamental, pois sua participação é pré-requisito para a manutenção do benefício no programa. O beneficiário que não puder comparecer ao evento deve enviar um membro da família munido de documentos que comprovem o vínculo parental.

Municípios

O Programa de Transferência de Renda e Geração de Cidadania Mão Amiga foi criado em 2009 com o intuito de promover transferência de renda aos trabalhadores rurais da laranja e da cana-de- açúcar durante a entressafra. Desde sua criação, já investiu R$ 50.071.270,00 nas entressafras da Cana e da Laranja pagando 66.056 benefícios.

O Mão Amiga atende a 14 municípios sergipanos da citricultura e 21 municípios da cultura da Cana de Açúcar – Areia Branca, São Cristóvão, Santana de São Francisco, Santo Amaro, Capela, Aquidabã (inserido pelo primeiro ano no Programa), Neópolis, Pacatuba, Japoatã, Muribeca, Malhada dos Bois, São Francisco, Japaratuba, Dores, Siriri, Rosário do Catete, Maruim, Laranjeiras, Divina Pastora, Santa Rosa de Lima e Riachuelo.

Destaca-se que o governador Belivaldo Chagas propôs alteração na Lei do Mão Amiga para atender à reivindicação dos cortadores de cana de Aquidabã que atuavam nos municípios circunvizinhos, mas não recebiam o benefício Mão Amiga pelo fato desse município não constar dentro os produtores de cana. Agora, tanto os cortadores de cana de Aquidabã passarão a receber o benefício quanto qualquer outro cortador que comprove, através de sua CTPS, atuação no corte de cana dentro do estado de Sergipe.

Pavimentação

Ainda em São Cristóvão, Belivaldo Chagas anunciou que, nas próximas semanas, retornará ao município para autorizar R$ 3 milhões para pavimentação de diversas ruas da cidade. “A licitação aconteceu ontem. Apertamos o cinto com relação ao Proinveste, nos viramos e deixamos garantido cerca de R$ 3 milhões para investir na pavimentação de ruas de São Cristóvão. Até o dia 6, vamos voltar aqui para dar a ordem de serviço. Quanto a João Bebe Água, vamos brigar na Justiça para conseguir os recursos do Finisa e poder contemplar também essa importante via”, garantiu o governador.

Presenças

Em Areia Branca, participaram da solenidade, o vice-prefeito do município, Francisco Chagas; o ex-prefeito Agripino; os secretários de Estado da Casa Civil, Conceição Vieira, de Governo, Benedito Figueiredo, da Inclusão Social, José Carlos Felizola, assim como, a superintendente executiva da Seidh, Roseli Andrade; os ex-prefeitos de Carira, Diogo Machado, e de Japaratuba, Hélio Sobral; o ex-secretário de Estado da Inclusão, José Sobral; a ex-secretária da Saúde, Conceição Mendonça e a diretora de Inclusão Produtiva da Seidh, Eleonora Cerqueira.

Já em São Cristóvão, prestigiaram o evento, o ex-governador Jackson Barreto; o vice-prefeito do município, Adilson Júnior; os secretários de Estado da Casa Civil, Conceição Vieira, da Inclusão Social, José Carlos Felizola e da Comunicação, Sales Neto; a superintendente executiva da Seidh, Roseli Andrade; o diretor-presidente da Cohidro, Carlos Melo; os ex-prefeitos de Carira, Diogo Machado, e de Japaratuba, Hélio Sobral e de Itaporanga, Gracinha Garcez; o ex-vice prefeito de Carira, Geofrâncio Reis; o ex-secretário de Estado da Inclusão, José Sobral, a diretora de Inclusão Produtiva da Seidh, Eleonora Cerqueira e vereadores e secretários municipais de São Cristóvão.

Tags relacionadas
Veja também
Comentários

Comentários encerrados!