background img
nissan

Cliente usa guindaste para içar caminhonete em protesto na porta de concessionária, em BH

Segundo dono do carro, veículo estragou motor pela 2ª vez e empresa quer cobrar R$ 82 mil pela troca. Concessionária alega que garantia foi perdida.

O proprietário de uma caminhonete içou o veículo com um guindaste na manhã desta quinta-feira (9) para protestar contra uma concessionária na Avenida Antônio Carlos, Região da Pampulha, em Belo Horizonte. O ato foi na porta da empresa e chamou a atenção de quem passava pela via.

Os donos da caminhonete alegam que, pela segunda vez, o motor estragou, e precisará ser trocado. A primeira troca, que deixou o veículo parado por cerca de três meses, de acordo com os donos, foi feita dentro da garantia. Porém, desta vez, a concessionária disse que o veículo perdeu a garantia, e apresentou um orçamento de R$ 82 mil. Um banner explicando o ocorrido também foi colocado no guindaste.

Uma representante dos proprietários, que estava no local, Fernanda Santos, afirmou que as revisões foram feitas regularmente e que a concessionária alegou que o problema na turbina da caminhonete ocorreu devido a “uso severo” do veículo. Fernanda disse ainda que não foram apresentados laudos que comprovavam o “uso severo”.

A advogada da Carbel, Késia Mara de Miranda, disse que a empresa está tomando todas as providencias jurídicas, inclusive criminais. Pois trata-se de uma “questão de garantia de fábrica”, porque o proprietário não cumpriu com o plano de manutenção, instalando acessórios não originais, que provocou a perda de garantia.

O protesto terminou com a chegada da Polícia Militar que mandou descer o guindaste com a caminhonete.

Protesto terminou com a chegada da polícia que mandou descer o guindaste (Foto: Reprodução/TV Globo)

Protesto terminou com a chegada da polícia que mandou descer o guindaste (Foto: Reprodução/TV Globo)

Caminhonte foi retirada do local e questão deve ser resolvida na Justiça (Foto: Reprodução/TV Globo)

Caminhonte foi retirada do local e questão deve ser resolvida na Justiça (Foto: Reprodução/TV Globo)

Via G1

Tags relacionadas
Veja também
Comentários

Comentários encerrados!