background img
ssp

Pistoleiro que matou capitão Oliveira usou pistola Glock para atirar em policiais, mas morreu

Na tarde desta quarta-feira, dia 05, policiais civis do Complexo de Operacões Policiais Especiais (Cope) e policiais militares da Companhia Integrada de Operações em Área de Caatinga (Ciopac) da PM de Sergipe entraram em confronto com Laelço da Silva, 44 anos. Procurado pela polícia desde o atentado contra o capitão Manoel Oliveira, Laelço possuía mandado de prisão em aberto desde as solicitações feitas ao Judiciário pelo Cope.

Ele foi localizado na zona rural do município de Salgueiro (PE) e reagiu à abordagem policial. O foragido disparou contra os policiais com uma pistola Glock calibre ponto 45, mas foi atingido e acabou morrendo.

A operação contou com o apoio da Divisão de Inteligência e Planejamento Policial da PCSE (Dipol) e com o apoio da Polícia Militar do Estado de Pernambuco, através da segunda Seção e do Grupamento de Ações Táticas do Interior (Gati), do oitavo Batalhão de Polícia Militar sediado em Salgado.

Laelço da Silva também possuía mandado de prisão em aberto expedido pela Comarca de Poço Redondo (SE) pela prática do crime de extorsão. Ele integrava grupo criminoso responsável por extorquir comerciantes do Povoado Santa Rosa do Ermírio e região.

O foragido era egresso do sistema prisional do Estado de Alagoas onde foi condenado por integrar uma associação criminosa responsável por tráfico de entorpecentes e roubo a bancos/carro forte. Em razão de sua periculosidade e liderança sobre a população carcerária, Laelço da Silva foi encaminhado pelo Governo de Alagoas para cumprir pena na Penitenciária Federal de Catanduvas/PR.

Tags relacionadas
Veja também
Comentários

Comentários encerrados!