background img
plenário-da-Câmara1

Câmara dos Deputados passa pela maior mudança dos últimos 20 anos

O PSL, do presidenciável Jair Bolsonaro, tinha oito deputados e subiu para 52, a segunda maior bancada depois do PT, com 56.

Por Jornal Nacional

A votação de domingo (8) teve efeitos também no Congresso. A Câmara dos Deputados vai passar pela maior renovação dos últimos 20 anos. Novos rostos vão ocupar boa parte das concorridas cadeiras.

A Câmara teve a maior renovação dos últimos 20 anos: 47%. Dos 513 eleitos, 243 deputados são de primeiro mandato; 19 ex-deputados foram eleitos.

A divisão entre os partidos ficou assim: o PT, do presidenciável Fernando Haddad, que tinha 61 deputados, terá 56. A bancada diminuiu, mas continua sendo a maior da Câmara.

O PSL, do presidenciável Jair Bolsonaro, foi o que mais cresceu. Tinha oito deputados, subiu para 52, a segunda maior bancada.

O PP continua como a terceira bancada, mesmo caindo de 49 para 37 deputados. O MDB que tinha 51, agora, tem 34. O PSD também diminuiu. Tinha 37 deputados, agora 34. O PR caiu de 40 para 33 deputados.

O PSB tinha 26; elegeu 32. O PRB foi de 21 para 30 depurados. O Democratas, partido do atual presidente da Câmara, Rodrigo Maia, que se reelegeu, tinha 43 deputados; elegeu 29.

O PSDB que tinha 49 deputados diminuiu; elegeu 29. O PDT saiu de 20 para 28 parlamentares. O Solidariedade, de dez para 13.

O Podemos diminuiu. Tinha 17, elegeu 11 deputados. O PSOL aumentou a bancada de seis para dez. O PTB perdeu. Tinha 16 deputados, agora dez. O PCdoB tinha dez, elegeu nove.

O Novo, que estreou nas eleições, elegeu oito deputados. O PPS continua com oito. O Pros tinha 11, agora oito. O PSC foi de nove para oito deputados. O Avante cresceu de cinco para sete deputados. O PHS também aumentou a bancada de quatro para seis.

O Patriota segue com cinco deputados. O PRP, que não tinha deputados, elegeu quatro. O PV continuou com quatro. O PMN foi de zero para três. O PTC de zero para dois. O Democracia Cristã não tinha deputados, elegeu um. O PPL continuou com um deputado. A Rede Sustentabilidade tinha dois, elegeu um deputado.

O número de partidos com representação na Câmara aumentou de 25 para 30. Alguns destes partidos poderão ficar sem acesso ao fundo partidário, dinheiro, e ao tempo de propaganda eleitoral de rádio e TV. É que esta foi a primeira eleição com a chamada cláusula de barreira – com os partidos precisando eleger um número mínimo de parlamentares ou ter um número mínimo de votos válidos espalhados por vários estados.

Vinte e dois partidos não atenderam a pelo menos uma dessas condições e projeções indicam que 16 deles podem não atender a nenhuma delas e ficar sem dinheiro público ou tempo de TV. O número oficial ainda depende dos cálculos do Tribunal Superior Eleitoral.

O que também aumentou foi o número de deputadas eleitas. Hoje, a Câmara tem 51. No domingo, 77 mulheres foram eleitas. Uma delas é Gleisi Hoffmann, do PT do Paraná, que hoje é senadora. Quem também desistiu de tentar uma vaga para o Senado foi o mineiro Aécio Neves, que conseguiu se eleger deputado pelo PSDB.

Já a Frente Parlamentar da Segurança Pública passa a contar com 28 deputados com profissões ligadas à área. São policiais, delegados, generais, capitães, tenentes, sargentos e cabos.

Tags relacionadas
Veja também
Comentários

Comentários encerrados!