A verdade contada como ela é.

Endividamento é realidade para mais de 130 mil famílias sergipanas


Junho é o mês em que elas mais se endividam.

Por G1 SE

O endividamento é uma realidade para 133.608 famílias sergipanas, o que representa 67,8% da população do estado, de acordo com dados apresentados pela Fecomércio, após análise da Pesquisa de Endividamento e Inadimplência, realizada pela Confederação Nacional do Comércio (CNC).

Segundo o estudo, o número de famílias endividadas cresceu 5,7% entre os meses de maio e junho. De junho do ano passado a junho deste ano, a elevação foi de 1,1%. Já a evolução da condição de endividamento das famílias sergipanas cresceu 6,8% entre janeiro e junho de 2019.

A pesquisa também mostra que, mesmo com a elevação do número de famílias endividadas, a condição de dificuldade de pagamento dos compromissos atualmente é mais flexível que em junho do ano passado.

Mês de maior endividamento

Historicamente, de acordo com a CNC, junho é o mês em que as famílias sergipanas mais se encontram na condição de endividamento. O fato é relacionado a compromissos assumidos no período de férias escolares, festas juninas e outros compromissos que implicam na elevação do consumo familiar, além da ausência de receita extra como no mês de janeiro, que habitualmente é o mês com menor endividamento familiar.

Renda comprometida

A pesquisa também mostra que as famílias sergipanas que possuem endividamento comprometem 28,7% do total de seus rendimentos para o pagamento das dívidas contraídas.

Na distribuição por valores percentuais, as famílias com baixo comprometimento de renda, que devem até 10% da sua receita mensal, atingiram o total de 30,8%. As que estão com parcela média deslocada para arcar com os compromissos, com valores entre 11 e 50% da renda, chegaram a 45,6%. Já as famílias com alto comprometimento de renda, as dívidas, com mais de 50% destinados para isso, preenchem 23,3% do total. Entre os que não souberam responder, o índice é de 0,4%.

Cartão de crédito

O cartão de crédito é apontado como o principal fator para o endividamento familiar. As compras parceladas são responsáveis por 84,3% das dívidas. Os carnês de compra atingiram o total de 20,7% dos compromissos e o crédito consignado chegou a 17,3%. O percentual somado ultrapassa 100%, considerando que as famílias possuem mais de um tipo de compromisso que é considerado dívida.