A verdade contada como ela é.

Abalados por corrupção, partidos ensaiam renovação sob olhar de antigas lideranças


Siglas que dominaram a política nos últimos 30 anos buscam se dissociar da imagem de escândalos de olho nas eleições de 2020 e 2022

Amanda Almeida e Naira Trindade – O Globo

Atingidos pela onda que levou Jair Bolsonaro à Presidência, à eleição de governadores considerados azarões e a uma renovação histórica no Congresso, os três partidos tradicionalmente mais fortes do país — MDB , PT e PSDB — deram a largada para se reestruturar até as eleições de 2020 . Depois de o PSDB trocar seu comando, num processo que representou a vitória do grupo do governador de São Paulo,João Doria , MDB e PT discutem a redefinição de suas cúpulas e de suas estratégias partidárias. Nas três legendas, a palavra recorrente é “renovação”, mesmo que sob comando de velhos rostos ou seus apadrinhados.