A verdade contada como ela é.

Chefe da Ferrari: Mick Schumacher é ‘bom candidato’ a vaga na Fórmula 1


Filho do heptacampeão mundial não foge das perguntas sobre sua ambição na principal categoria do automobilismo. Jovem atualmente disputa Fórmula 2

Não será em 2020 que voltaremos a ver um Schumacher correndo na Fórmula 1. Porém, se depender do discurso de Mattia Binotto, chefe da Ferrari, isso pode acontecer mais cedo do que muita gente imagina. Segundo ele, Mick, filho do heptacampeão mundial, está se preparando muito bem na Fórmula 2 e, em breve, deve passar para a principal categoria do automobilismo mundial.

“Estamos muito orgulhosos de tê-lo na nossa Academia de Pilotos. Não apenas porque ele é filho de Michael Schumacher, mas porque ele é bom piloto. Ele realmente teve um bom desempenho, mesmo nesta temporada. Se você olhar para a classificação final, poderá ver alguns pilotos mais experientes no topo, então ele teve uma boa temporada para ganhar experiência. E se você olhar em termos de novatos, ele foi muito bem”, ponderou Binotto.

“A próxima temporada será fundamental para ver o quanto ele está progredindo. Esperamos muito, porque ele terá experiência e temos certeza de que será um bom candidato à F-1 no futuro. Se ele será candidato à Ferrari? Ainda é muito cedo. Mas o objetivo da Academia é encontrar o próximo talento para a Ferrari e ele faz parte do programa, porque acreditamos que ele tem talento.”, prosseguiu ele.

Apesar disso, Binotto decidiu “frear” um pouco a empolgação, ressaltando que, em 2021, a categoria passará por grandes mudanças: “Mas 2021 será muito cedo para um de nossos jovens talentos. Em 2021, a experiência será importante porque teremos um tipo de carro completamente novo”.

E as declarações do dirigente vão de encontro com os desejos do piloto, que disse já se encontrar pronto para a Fórmula.

“Claro, eu penso sobre isso. Esse é o meu sonho. É para onde quero ir e é onde quero viver basicamente minha vida. Eu me sinto pronto. Se você chegar à Fórmula 2, a maioria das pessoas aqui diria que está pronto. Obviamente, um ano na F-2, no qual você aprende muito sobre pneus e outras coisas, ajuda na F-1, mas isso não significa que você fará um bom trabalho automaticamente, porque há muitas coisas diferentes na F-1 que afetam sua posição” disse Schumacher ao site “Autoweek.com”.

Em sua temporada de estreia na Fórmula 2, Mick Schumacher alternou boas corridas com outras apagadas. A primeira vitória foi alcançada logo na segunda corrida da rodada de Hungaroring, mas sua classificação final não foi das melhores.

“Acho que se você tiver a chance, aproveite. Talvez faça mais sentido ficar mais um ano na Fórmula 2 e fazer um bom trabalho, mas isso não significa que haverá vagas na F-1 abertas e você pode estar sentado lá sem nada para pilotar. É um pouco como o esporte escolhendo você, e não o esporte. Se a chance vier, eu a aceitarei. No momento, estou pensando na F-2. Estamos aqui, e é nisso que me concentro, mas sonho com a F-1”.

Mesmo ainda em início de carreira, Mick não foge das perguntas de toda a imprensa internacional e diz que só tem um piloto em que se espelha: claro, o pai, Michael Schumacher.

“Claro que vejo muitos pilotos da F-1, por que se estão aqui estão entre os melhores pilotos do mundo. Mas a única pessoa que quero ser é meu pai”, disse Mick, na abertura dos trabalhos no Circuito da Catalunha, em Barcelona.

Michael Schumacher sofreu um acidente de esqui em dezembro de 2013. Desde então, as declarações de médicos, familiares e amigos têm sido cada vez mais raras sobre o real estado de saúde do ex-piloto. Em setembro de 2019, ele foi internado em um hospital em Paris.

Na última sexta-feira, Schumacher completou 51 anos, ainda como o maior campeão da história da Fórmula 1. Em 2020, ele pode ser alcançado pelo inglês Lewis Hamilton, que tem seis conquistas.

Enquanto isso, Mick trilha seu caminho rumo à F-1. Em abril deste ano, o piloto de 20 anos testou pela Ferrari e pela Alfa Romeo. A mãe, Corinna, mulher de Michael, acompanhou os trabalhos de perto.

“Nunca é fácil assistir às corridas antigas dele, mas o que ele fez foi extraordinário. Eu fico a cada dia mais feliz por isso”, disse o jovem.