A verdade contada como ela é.

UFC: Dana White discorda de vitória de Jon Jones e crava: “Reyes é o futuro dessa categoria”


Chefão do UFC elogiou Dominick Reyes depois de derrota para Jon Jones e disse que precisa “trabalhar melhor a arbitragem no Texas”, afirmando que os juízes locais são inexperientes

Por Camilo Pinheiro Machado e Evelyn Rodrigues — direto de Houston, EUA

Dana White chegou à entrevista coletiva em Houston, depois da vitória de Jon Jones sobre Dominick Reyes no UFC 247 da madrugada de domingo, com um humor que alternava entre a empolgação e irritação.

O presidente do UFC fez questão de exaltar o desempenho impressionante de Reyes, festejou o talento apresentado pelo atleta, mas se mostrou profundamente frustrado com a atuação dos juízes que marcaram de forma unânime a vitória para Jon Jones, depois de cinco rounds muito disputados.

– Eu marquei três (rounds) a um antes do último round (para Reyes). E meus filhos me infernizaram após a luta: “Pai, você tem que consertar isso, Reyes venceu a luta!” Mas a realidade é que não sou juiz. Ninguém aqui é. Eu não achei perfeita a decisão, e precisamos trabalhar nisso. Precisamos ajudar a melhorar a arbitragem no Texas – eles ainda não estão acostumados com as grandes lutas do nosso esporte. A direção da comissão daqui precisa perceber os erros que são cometidos e os ajustes que podem ser feitos. Mas falei com algumas outras pessoas que pensaram diferente sobre esse placar e nós não somos juízes – argumentou o dirigente.

O presidente do UFC não escondeu a empolgação com o desempenho de Dominick Reyes. Para Dana, nasceu no UFC 247 uma nova grande estrela do MMA, e que merece mais uma chance de título contra a lenda Jon Jones.

– Dominick Reyes é o futuro dessa categoria. Eles merecem uma revanche. Vamos ver o que pode acontecer. (…) Por outro lado, Jon Jones vence lutas. Podem falar o que quiserem dele, mas Jones venceu. Quem aqui acha que ele foi realmente melhor? Muita gente acha isso também. Mas não importa, porque não somos juízes – afirmou Dana White.

Dana White destacou a boa atuação de Dominick Reyes na derrota para Jon Jones  — Foto: Getty Images

Dana White destacou a boa atuação de Dominick Reyes na derrota para Jon Jones — Foto: Getty Images

Dana White festejou também a atuação impecável de Valentina Shevchenko no co-evento principal. A campeã controlou o combate contra Katlyn Chookagian por todo o tempo, até conseguir um nocaute no terceiro round.

– Foi uma performance incrível. Valentina é tão espetacular, tão profissional, tão boa pessoa, mas é uma “gângster” também, não se enganem. Ela tem uma arma tatuada no quadril. É o tipo de pessoa com quem você queira arrumar problema, porque ela pode acabar com você – disse Dana.

Haja vista o domínio de Valentina na categoria, natural que se pergunte sobre a possibilidade de mais uma luta contra a brasileira Amanda Nunes. Pois Dana não descarta que possa haver novo encontro entre as lutadoras, mas também lembra de outra campeã como possível adversária de Valentina Shevchenko em um futuro próximo.

– Valentina está mais perto de Zhang (Weili Zhang, campeã do peso-palha) do que de Amanda no peso. Existem mutias coisas para fazermos com essas três atletas. Ainda não sabemos, mas são possibilidades reais – vislumbrou Dana White.

Valentina Shevchenko venceu a quinta seguida no peso-mosca — Foto: Getty Images

Valentina Shevchenko venceu a quinta seguida no peso-mosca — Foto: Getty Images

Veja os resultados de todas as lutas do evento:

CARD PRINCIPAL
Jon Jones venceu Dominick Reyes por decisão unânime (48-47, 48-47 e 49-46)
Valentina Shevchenko venceu Katlyn Chookagian por nocaute técnico a 1m03s do R3
Justin Tafa venceu Juan Adams por nocaute a 1m59s do R1
Dan Ige venceu Mirsad Bektic por decisão dividida (29-28, 28-29 e 29-28)
Derrick Lewis venceu Ilir Latifi por decisão unânime (triplo 29-28)
CARD PRELIMINAR
Trevin Giles venceu James Krause por decisão dividida (29-28, 28-29 e 29-28)
Lauren Murphy venceu Andrea Lee por decisão dividida (29-28, 28-29 e 30-27)
Khaos Williams venceu Alex Morono por nocaute aos 27s do R1
Mario Bautista venceu Miles Johns por nocaute técnico a 1m41s do R2
Journey Newson venceu Domingo Pilarte por nocaute técnico aos 38s do R1
Andre Ewell venceu Jonathan Martinez por decisão dividida (29-28, 28-29 e 30-27)
Youssef Zalal venceu Austin Lingo por decisão unânime (triplo 30-27)