Dois satélites desativados estão em rota de colisão no espaço


Serviço de monitoramento de detritos espaciais estima que choque entre os dois equipamentos deve ocorrer sobre os EUA

Dois satélites desativados, um lançado em 1983 e o outro em 1967, entraram em rota de colisão esta semana.

O serviço de monitoramento de detritos espaciais LeoLabs publicou no twitter que a colisão está prevista para acontecer às 20h30 (horário de Brasília) desta quarta-feira (29) a uma altitude de 900 quilômetros da Terra, sobre os EUA.

https://support.twitter.com/articles/20175256?ref_src=twsrc%5Etfw%7Ctwcamp%5Etweetembed%7Ctwterm%5E1221908253627412480&ref_url=https%3A%2F%2Fnoticias.r7.com%2Ftecnologia-e-ciencia%2Fdois-satelites-desativados-estao-em-rota-de-colisao-no-espaco-29012020

A distância entre os satélites é de 15 a 30 metros e a chance de colisão entre eles é de apenas 1%. Os cientistas não podem fazer nada para evitar o choque, já que os controles de ambos os satélites estão desativados há muito tempo. 

“É um encontro muito, muito próximo. Eu diria que é uma das colisões possíveis mais perigosas que vemos em muito tempo”, diz Alice Gormana, arqueóloga espacial, à revista ScienceAlert.

O medo dos pesquisadores é que a colisão produza uma nuvem de detritos espaciais que poderiam atingir outros satélites no futuro e causar danos.

“Se não descobrirmos como nos livrar de alguns desses detritos, esse tipo de choque tornará mais difícil o lançamento de novos satélites e realização de viagens para o espaço”, alerta Alice.

Os satélites têm tamanhos e massa muito distintos. O IRAS, lançado em 1983, tem mais de uma tonelada e ocupa aproximadamente 10 metros cúbicos. O outro, GGSE-4, foi lançado em 1967, e pesa apenas quatro quilos.

*Estagiário R7, sob supervisão de Pablo Marques