Jon Jones dispara: “Não tenho interesse em lutar até que o UFC pague o que eu mereço”


Campeão dos meio-pesados entra em disputa financeira com Dana White, presidente do Ultimate, e utiliza visibilidade para tentar melhorias para a nova geração de atletas de MMA

Por Combate.com — Las Vegas, EUA

Campeão peso-meio-pesado do UFC, Jon Jones venceu os adversários mais gabaritados do mundo dentro do octógono. Entretanto, o americano trava uma batalha duríssima do lado de fora, contra o “patrão” Dana White, presidente da organização. O duelo envolve cifras e, consequentemente, a presença de “Bones” no cage.

Em entrevista ao podcast “Wild Ride!”, na quinta-feira Jon Jones demonstrou pouco interesse em retornar ao octógono. O atleta, que soma 26 vitórias e uma derrota (por desqualificação), reforçou o desejo de dar uma pausa na carreira e declarou que só voltará a atuar no Ultimate quando receber o pagamento que merece.

– Não quero lutar tão cedo. Não tenho interesse em lutar até que o UFC pague o que acredito que eu mereça.

Apontado como um dos maiores atletas de MMA da história, Jon Jones integra o plantel do Ultimate desde 2008. E garante que, por suas palavras ganharem visibilidade, é capaz de pleitear melhorias, especialmente, para a nova geração do evento.

– Não estou pedindo nada ultrajante, sei que estamos em uma pandemia. Sei que quando você é multimilionário e pede mais, fica parecendo que você é uma pessoa gananciosa. Estou ciente disso tudo, mas também sei que tenho a voz e a plataforma para fazer mudanças. Os caras que estão em uma situação pior não estão na posição de dizerem publicamente: “Tenho um segundo emprego, estou pedindo dinheiro emprestado aos meus pais”. Conheço vários lutadores que moram na academia Jackson-Wink porque não podem se dar ao luxo de terem seus próprios apartamentos. E são lutadores do UFC. Isso é triste.

Aos 33 anos de idade, Jon Jones afirma que não quer um relacionamento azedo com o presidente do Ultimate e frisa que cultiva laços de cordialidade com os integrantes do staff da organização.

– Se eu tiver uma relação ruim com o Dana e ficar de fora por dois ou três anos para jogar luz sobre o que está acontecendo… São coisas que serão mais lembradas pelas pessoas do que conquistar cinturões. Eu defendo os lutadores mais jovens. Se virou algo pessoal, eu preferiria trabalhar para uma empresa que eu me sinta voltando para casa. Estou em casa quando vou trabalhar. Meu relacionamento com o staff do UFC é ótimo, mas dá uma sensação esquisita quando você sente que não te querem mais lá.

O atrito entre Jon Jones e Dana White em relação a pagamentos começou em maio, quando o UFC se recusou a pagar o que Jon Jones gostaria para subir de categoria e enfrentar Francis Ngannou em uma superluta do peso-pesado. O mandatário declarou que “Bones” requisitou ” uma quantia absurda de dinheiro”, inviabilizando a realização do confronto. Entretanto, o campeão negou que havia pedido R$ 160 milhões e chamou o compatriota de mentiroso.